10 de out de 2012

Uma cenazinha da animação A MULHER ALADA

A sete anos venho trabalhando esporadicamente neste desenho animado interminável, que nunca fica pronto. Pretendo finalizá-lo até novembro, a tempo de exibi-lo no Festival Primeiro Plano. Acho que dessa vez eu consigo. Enquanto isso, vai aí uma pequena cena de alguns segundos. "Tem uma mulher pelada sobrevoando a cidade ! Tome alguma providência !" grita a beata apavorada ao telefone para o general...

8 de out de 2012

CARICATURAS

30 de set de 2012

Ilustração para o CEAD

Uma ilustração feita semana passada, com o mote "Educação a distância: novas possibilidades ao seu alcance".

12 de set de 2012

A Lucy original

Postei aqui há meses (novembro de 2011) um desenho supostamente inspirado na música Lucy in the sky with diamonds. Na verdade, eu havia modificado um trabalho anterior, de teor bem menos lisérgico e poético, para adequá-lo à convocatória da revista virtual Ideafixa, que na ocasião pedia desenhos inspirados em músicas. O desenho original (um devaneio erótico surreal) é este aqui embaixo. Bem mais interessante...

4 de set de 2012

ARQUIVO 8

Um desenho de 1987 ou 88 (o skaner comeu a data...). O interessante é que não houve pesquisa alguma sobre a anatomia correta de uma caveira humana. O desenho é exatamente o que eu inferi que fosse uma caveira, a partir de imagens que eu via em outros lugares, aleatoriamente (na época não havia internet). Ainda assim ela me parece bem convincente e... viva. Em tempo: não houve nenhuma intenção em fazer propaganda antifumo, muito pelo contrário.

28 de jul de 2012

UMA PIETÁ ÀS AVESSAS

17 de mai de 2012

VERÔNICA





Com o fim da semana santa, lembrei de um tema recorrente em diversos desenhos: o rosto de Cristo com sua coroa de espinhos. Acho que é uma reminiscência das procissões de sexta-feira da paixão em Chácara. Em alguns pontos do percurso da procissão, uma senhora de vestes negras, com um véu cobrindo o rosto, exibia um pequeno manto branco com o rosto de Jesus Cristo, enquanto entoava um canto solene e triste, narrando a lenda de Verônica , uma mulher que teria limpado o rosto de Jesus numa de Suas quedas no caminho para a crucificação. Seu rosto teria ficado gravado no manto branco. Verônica é uma lenda mesmo, não está na Bíblia. É na verdade uma figura meio estranha ao imaginário católico "oficial", embora ela tenha sido incorporada aos rituais da semana santa.

A existência dessa lenda é extremamente interessante para mim, e instiga reflexões sobre a própria utilização de imagens pelo catolicismo. Na antiga religião judaica, berço do cristianismo, a representação pictórica ou escultural de Deus era proibida, e continuou proibida ou extremamente limitada ainda nos primeiros séculos da era Cristã, fato que teve consequências importantes na própria arte pictórica da Idade Média ocidental.

Jesus Cristo é o próprio Deus encarnado, que se mostrou, dessa forma, aos olhos humanos. Verônica é portanto o primeiro ser humano a materializar, imprimir, gravar, registrar a imagem de Deus feito homem na forma de seu filho. Verônica seria então uma espécie de mãe fundadora da arte iconográfica cristã, uma "deusa das imagens". E o fato de sua história não estar relatada na bíblia, pois sua origem está relacionada a narrativas dos primeiros cristãos convertidos no Oriente Médio, faz dela uma figura meio pagã ou transgressora, exatamente por ter rompido o cânone da não representação pictórica de Deus. E neste caso o fato de ser ela uma mulher é ainda mais significativo, tendo em vista a posição subalterna e, às vezes, marginal ou mesmo proscrita e demoníaca, do feminino durante séculos da cultura judaico cristã.

Tenho a idéia de uma série de desenhos com faces diversas, de figuras conhecidas ou não, ornadas com coroas de espinhos. Os espinhos de cada face representam sempre aquilo que é o contraponto necessário da vida do personagem: aquilo que o faz sofrer, mas que também é necessário para sua existência. Quase uma interpretação visual da frase "você não vale nada, mas eu gosto de você". Alguns desenhos já estão prontos. O desenho acima foi o primeiro a ser feito, aquele que inspirou a série: uma caricatura do próprio Cristo. Se você não pode ou não quer abraçar sua cruz, mande ela às favas, mas assuma e coloque ao menos uma coroazinha de espinhos.

26 de mar de 2012

Tio Sam Chapeleiro Louco

Fiz este desenho para participar da edição 22 da revista IDEAFIXA, mas infelizmente ele ficou de fora. O tema desta edição é POSTER (ou cartaz), e a idéia original do meu desenho era fazer uma paródia do famoso cartaz de propaganda da Primeira Guerra Mundial, no qual o tradicional personagem do Tio Sam (símbolo do nacionalismo americano), aponta para o cidadão e intima: "I want you for the U.S. Army" (Eu quero você para o exército dos EUA). De repente reparei uma semelhança (seria coincidência ?) entre a figura do Tio Sam neste cartaz e a figura do Chapeleiro Louco, interpretado por Jonny Deep, no cartaz do filme Alice no País das Maravilhas, do Tim Burtom. Fiz então este Tio Sam com aparência do Chapeleiro Louco, tomando um chá de cogumelo. No lugar do dedo indicador, temos o dedo mindinho sutilmente levantado, apontando o observador. Dizem que existe uma associação entre as iniciais de Uncle Sam (Tio Sam) e a sigla dos EUA em inglês: U.S. (United States, sem o "of America). Assim, criei a frase: "I want you for the last crazy party in the Uncle Sam Apartment" (Eu quero você para a última festa louca no apartamento do Tio Sam), sendo que as iniciais de Uncle Sam Apartment formam a sigla USA (como em United State Army). Temos assim o cartaz de divulgação de uma festa, talvez a última, daquelas promovidas pelo Chapeleiro e a Lebre no país das Maravilhas, só que agora no reino de maravilhas do império americano.

3 de mar de 2012

Ilustrações para o CEAD

Acho que o ano está finalmente começando. Na última semana talvez eu tenha desenhado mais que em todo ano de 2011 (exagero !). 70 ilustrações em poucos dias, para um material didático impresso sobre enfermagem e saúde mental.

Mas foi uma prova de fogo para mim. Não imaginava que seria capaz de fazer tantos desenhos em tão pouco tempo, com um resultado satisfatório (pelo menos para meus critérios). De todos os desenhos, selecionei 2 para postar aqui. São desenhos em que eu tomei a liberdade de inserir uma certa dose de humor.

O primeiro é uma caricatura de Philipe Pinel, um dos médicos pioneiros na humanização do tratamento de doentes mentais, ainda no século XVIII. Achei tão simpática a descrição de seu trabalho, que resolvi colocar um pequeno coração pulsando em sua enorme cabeça: um traço de compaixão e afetividade em pleno auge da racionalidade do iluminismo francês.



O segundo é um desenho que reproduz a clássica imagem alegórica da justiça: uma mulher com venda nos olhos, a balança em uma das mãos e a espada na outra. Não resisti a tentação de fazê-la largar a espada e levantar a venda, para dar uma espiada no que se passa. Afinal, nossa justiça não é tão cega (ou imparcial), nem tão punitiva assim. Ia colocar um cérebro pesando em um dos pratos da balança, mas aí já seria punk demais (fica aqui registrada a ideia).

7 de jan de 2012

Novo link para MIRAGENS

Enquanto preparo A MULHER ALADA (um novo desenho animado), vai aqui novamente o MIRAGENS, desenho animado de 2006. Clique AQUI para ver o vídeo.