28 de jan de 2010

A FINA FLOR DO BOTEQUIM 1


Este desenho foi feito em 2007 e faz parte de uma série sobre figuras de botequim. Figuras que conheci ou observei nos butecos por onde andei nos últimos vinte anos (pois sou boêmio desde os 16!). Aqui, vemos um traveco, meio bêbado, se dirigindo ao mictório...

27 de jan de 2010

Arquivo 5


Resgatei hoje este desenho de 2001. Nosso permanente, e às vezes despercebido, desejo de trascendência... Este sujeitinho parece ter atingido algum tipo de iluminação ou leveza espiritual e se desprendeu do chão. Tão diferente de mim, que realizo pequenos saltos desesperados, sabe Deus a que duras penas.

12 de jan de 2010

EM LONDRES, MEDINDO OS PEPINOS (com duas versões)



Este desenho estava no esboço desde maio do ano passado. Resolvi fazer a arte final estes dias.

Durante a reunião de cúpula do G20, no mês de abril de 2009 em Londres, Lula concedeu uma entrevista a jornalistas na embaixada brasileira, avaliando os resultados do encontro e a dimensão dos efeitos da crise sobre a economia mundial. Lula retribuiu a gentileza de Obama, que havia declarado publicamente na véspera sua admiração pelo colega brasileiro. Disse que também admirava Obama e logo depois proferiu uma daquelas frases que nos fazem arregalar os olhos e pensar: “ele não disse isso!”. A frase fazia uma comparação entre os problemas econômicos do Brasil e dos EUA, naquele momento: “O Obama tem um pepino infinitamente maior que o eu pra descascar.”

Incrível. Fiquei besta. Com o Lula é difícil competir, a piada já vem pronta. Pretendo fazer uma pequena série de desenhos chamada ASSIM FALOU LULATUSTRA (em referência ao livro de Nietzche, ASSIM FALOU ZARATUSTRA) reunindo as frases mais espantosas ditas pelo presidente no ano de 2009 (e já tenho uma boa coleção delas). Mas essa frase merecia um desenho especial, a parte.

Imaginei um pequeno intervalo nas reuniões do G20, em Londres. Uma pausa para o xixi e o cafezinho dos chefes de estado. Lula e Obama, amigos e descolados que são, resolvem ir tirar a àgua do joelho ali mesmo, na fachada do Palácio de Buckinghan, atrás da guarita do guarda que vigia a entrada do edifício. Lula, que não costuma perder a oportunidade de alardear seus atributos e grandezas, resolve comparar o tamanho dos pepinos. Se espanta, descepcionado com sua desvantagem em relação a Obama e exclama: “O seu é infinitamente maior que o meu!”.

Na guarita ao lado, o pobre soldado da guarda real observa a cena pelo canto do olho, mudo e atônito, sem poder intervir em mais esta pequena e muito espontânea quebra do protocolo por parte dos dois maiores e mais populares políticos da atualidade. Fiz duas versões do desenho, com e sem o guarda na guarita. A presença do guarda na cena cria problemas de composição que não foram ainda totalmente resolvidos. Gostaria de saber a opinião de vocês sobre a melhor opção, para que eu possa avaliar melhor o resultado final, antes de expôr ou editar o trabalho.

7 de jan de 2010

Papai Noel, o urubu !




Embora eu seja vascaíno, fiz este desenho na véspera de Natal em homenagem a um amigo meu que é flamenguista doente. Mandei para ele, via ORKUT. Acho que meu amigo não gostou muito do desenho ou do comentário que fiz na legenda. Mandou-me dias depois uma bela mensagem de Ano Novo, mas sem comentar nada...

Como sou um pouco cara de pau e gostei do desenho, vou publicá-lo aqui. Talvez ele seja incluído também na coletânea de charges que pretendo editar ainda neste início de 2010, sobre os fatos mais marcantes de 2009.

A idéia do desenho é a seguinte: imaginei que Papai Noel só pode ser mesmo um urubu, este bicho que traz mau agouro e é mascote do framengo. Por isso é que ele trouxe este presente de Natal antecipado para os flamenguistas: o título do brasileirão 2009. Mas, além de urubu, Papai Noel seria também um piadista, e trouxe um presente para os vascaínos: o título do campeonato brasileiro... da SEGUNDA DIVISÃO ! Maldito !

Fiquei feliz com a volta do Vasco para a primeira divisão, mas fiquei impressionado com os vascaínos que saíram na rua com bandeiras e cornetas, comemorando como se tivessem conquistado o título mundial. Ou comemorando aos berros e abraços num botequim quando “massacramos” o Ipatinga por 4x0 no Macaranã. Tenha santa paciência!

Enfim, só para não passar despercebido, o cenário do desenho é inspirado numa foto tirada no Maracanã, no dia da final contra o Grêmio.